Era uma vez uma menina de 16 anos, que resolveu criar um blog para desabafar... E que agora, aos 21, continua a escrever. De teen a adulta; de Portugal à Holanda - A saga!

08
Nov 05

Tudo começou no ano lectivo passado. Não me lembro bem em que altura.

De início, eram só as más disposições. Por vezes, até tinha que sair no meio das aulas. Ia a correr para a casa-de-banho mas, ao chegar lá, não vomitava.

"Não andas a comer bem, espero que não estejas a apanhar uma úlcera", dizia a minha mãe. Tal como ela, todos, eu incluída, pensaram que eram problemas de estômago.

Fui fazer exames e, após a espera eterna dos resultados, fiquei a saber que tenho o estômago em perfeitas condições.

Passado algum tempo, para além das más disposições, o meu coração começava a bater desenfreadamente, durante alguns segundos, voltando ao normal pouco depois. "Então é isso, problemas cardíacos!", pensei eu. Fiz exames. Nada. Coração perfeito.

"Talvez tenhas algum problema no sangue. Se o tiveres muito grosso, pode ser a causa desses batimentos cardíacos acelerados", disse o meu pai. Exames ao sangue. Nada.

Cada vez me custava mais ir à escola, sendo que cada vez que lá entrava me sentia mais e mais mal-disposta. Deixei de ir à escola. Simplesmente não conseguia. "Será que estou a ficar maluca?", perguntava-me eu. Chega uma determinada altura que, só de pensar em sair de casa, fico mal-disposta.

Conclusão: começo a não sair de casa. Por um lado, sentia-me bem em casa. Por outro, se continuasse a faltar, ia chumbar o ano e, pior do que isso, perder uma turma com pessoas que eu adoro. Por pensar nessas pessoas e pelos argumentos do meu prof de educação física, comecei a ir às aulas. Passava as aulas mal-disposta. Os intervalos também.

Houve um dia em que tive um ataque fortíssimo: fechei-me na casa de banho; toda eu tremia, chorava, quase não respirava, tinha as pernas e os braços dormentes. Sabia lá eu que estava a ter um ataque de pânico... Só quem passa por isto sabe o que é. "Das duas uma: ou vais à casa de banho, pões os dedos na garganta e vomitas de uma vez, ou deixas de andar por aí a pensar que estás mal-disposta!". Foram estas as palavras do meu professor de educação física, quando eu estava quase a chumbar por faltas. Na altura, ao ouvir isto, não sei quantas pragas lhe roguei. Porque é que ele estava a ser tão duro comigo, porque é que ninguém me percebia?? Mal sabia eu que essas mesmas palavras me iam salvar de mim mesma...

A partir do momento em que ele me disse isto, eu comecei a ter vergonha de dizer que estava mal-disposta. Como não estava a falar sempre nisso, esquecia-me. Quando me esquecia, não estava mal disposta!... Quando voltava a lembrar-me, começava a ficar mal disposta outra vez.

Com a continuação do tempo, ir às aulas tornava-se menos difícil. Sabia que podia vomitar a qualquer momento (devo sublinhar que, desde que tenho isto, não vomitei uma única vez!), mas também sabia que, se o fizesse durante as aulas, tinha amigos e professores que nunca, mas nunca me iam por de lado por isso. Nunca me iam olhar de lado por isso. Nada. Iam apoiar-me. E era por saber disso que eu ia.

Houve uma altura em que me custava tanto ter isto, que eu nem sabia o que era, que cheguei a pensar se valeria a pena continuar a viver assim. De que valia continuar a acordar todas as manhãs, sabendo que me ia sentir mal todo o santo dia?

Felizmente sou cobarde. Felizmente tenho família, amigos e professores que nunca me perdoariam se eu fizesse alguma coisa estúpida. Um dia a minha mãe, de tanto pesquisar, descobriu o meu problema. "Ansiedade/ transtorno do pânico". Os mesmos sintomas, tudo.

Fui a uma psicóloga, que não só confirmou, como também me esclareceu que este tipo de ansiedade vem, normalmente, com agrofobia, medo de sair de casa, de espaços abertos ou de sítios com muita gente.

Hoje, felizmente, consigo controlar os ataques. Se antes tinha 5, 6 ataques fortes por dia, hoje tenho um ataque por semana que, talvez por já o saber controlar, não me afecta quase em nada.

Não sei se este texto vai ajudar alguém. Possivelmente não. Mas pode ser que sim. Hoje agradeço a todos os que me ajudaram a passar o que foi, sem qualquer sombra de dúvida, o pior período da minha vida.

Agradeço ao meu pai, mãe e avó. À minha turma. Aos meus professores Zé Luis, Paulo Martins, Eunice, Maria do Carmo. À minha stora Teresa Pontes, que é um exemplo para mim.

A todos.

O meu OBRIGADA, do fundo do coração. Porque sei que, sem vocês, nenhum dos esforços que faço valeriam a pena.

publicado por Nana às 16:13

comentários:
Tu és xcelente! E conseguiste! Conseguiste ajudar alguém, alguém que por kk infelicidade teve o azar de sofrer dakilo k tu sofres! E de passar por todas as noias k tu passast k eu, todos os dias ctg, mal me consegui aperceber! E, a partir da altura em k entendi k tu tinhas realmente kk coisa, axo k menosprezei o assunto! eu e toda a gente! porque lá xta, como tu disseste e como a stora teresa disse e como a rapariga Li (acima) disse, ng sabe, só akeles k sentem! e a certa altura, realmente pensei k tu terias kk problema tipo doença e assustei-me como nunca me tinha assustado. Akeles momentos em k falams na net e tu m deste a entender k t tavas a despedir deixaram-m uma dor no coração como nunca senti! Axo k foi a primeira vez k tive medo de perder alguem de kem gosto muito mesmo! E axo k foi so nesse momento k consegui entender um poukinho como t tavas a sentir! Mas hj, sempre k falo ctg, encaro-te de uma forma diferente! Pra lem de todo o carinho, admiração, amizade e fraternidade k ha entre amigas, sinto um respeito pela tua força de vontade de vencer! E isso, miga, é uma coisa k como te disse muito poucos têm! e por mais importante k tenha sido a presença de todas estas pessoas xcelentes k são os nossos profs e amigos e a tua familia, a força, a garra, a coragem de dizer: "Não! Basta!" foi tua! Principalmente kd se trata de uma cena destas, k ng conhece e k toda a gente axa uma aberração!
E como eu t admiro akredita k todos os k te conhecem bem t admiram tb! A partir de agr será sempre a melhorar, disso ja tens provas!! Estarei sempre aki de todas as formas, pronta e presente! Mts beijos e, claro, parabéns por seres como és
sushi a 10 de Novembro de 2005 às 22:29

Um post muito interessante! O sindrome do panico e os ataques de ansiedade são problemas reais e que muitas vezes são mal diagnosticados! Utilizar medicação para controlar os ataques não é a solução, mas sim aprender a controlar os ataques sem ajuda de fármacos.

olá krida! é claro que este teu depoimente ajuda, e muito, porque por vezes, tal como nos aconteceu, nós nem sabemos que tal coisa existe! Sempre tive assim uns traumas, mas eu sabia lá que poderia ser fobia! E como sou muito reservada nunca comentei com ninguém. Também, sempre pensei que os outros iam gozar comigo, porque há coisas que me acontecem que, para mim, são ridículas, por isso nem me atrevia a falar disso. Agora pela 1ª vez consegui dizer ao meu namorado. Mas é-me muito difícil. Acho que fizeste muito bem em falar nisso, no meu blog é o que pretendo, é falar sobre isso, partilhar experiências, e se for o caso, explicar que há uma doença que se chama fobia/ansiedade social. Bjinhos grandes!
Crazy Li a 9 de Novembro de 2005 às 12:27

owah coisinha windah* isso dev ser mm horrivel.. mas so t digo uma coisa.. eu tb agradeço a essas pessoas k t ajudaram, pk tu és excelente, e s tu fizesses alguma coisa menos propria n eram so eles k iriam perder, mas mt mais gente!! e o facto d nc teres feito essa coisa estupida, n significa k es cobarde, d modo nenhum, mas sim k es uma rapariga xeia d força!! pk kem o faz é para mim o maior dos cobrades, pois n tem coragem d enfrentar a vida cm ela é (sim.. eu conheço.. conheci kasos assim..e ate hj n csg perceber.. n perdoo.. mm.. posso tara ser egoista.. mas n csg..)! k isso nc t passe pela cabeça!!!!! e pensa.. s ants tinhas isso com tanta frekuencia, e agora ja n.. ker dizer k um dia pod desaparecer.. eu n csg imaginar sker o k sentes.. mas so espero k cont sp com tanta força quanto a k tens hj, pk tu es simplesmente 5* e tens k tar em grand forma pa kd formos fazer a noxa proposta ao cris.. lol lembras-t? fika bem linda* beijuh*
ines a 8 de Novembro de 2005 às 21:12

oi linda. Ainda bem ja consegues ultraxar ixo, deve ser mt dificil controlarmos-nos a nós proprios kaundo algo do genro acontece, por exemplo eu axo-m incapaz de fazer tal coisa, se tivexe atakes de panico. Mas tu como es uma rapriga como mt força, consegues!! E vais ver cm o paxar do tempo vais ficar melhor e melhor, pk tu merexes, pk simplesmente pexoas cm tu n existem mts, por ixo, vais ver k n vai ser dificil de ultrpaxar.E ja sabes smp k precisarx de algm coisa, tens aki uma amiga para tudo. Bjinhuxxx******************+
su a 8 de Novembro de 2005 às 18:23

eu tou com o mesmo problema nao tenho ansiedade todos os dias de isso de ficar mal disposta e dpois deitar um liquido do estomago noano passado tambem me aconteceu isto mas volto agora nao sei de onde vem esta ansiedade
jk a 26 de Maio de 2010 às 11:36

Olá, admiro-te imenso por teres conseguido superar esse horrível problema. Acredita que este teu post ajuda sem duvida, a mim dá-me forças para ultrapassar este problema que me atormenta ha 4 anos :(
Ana Antunes a 28 de Novembro de 2010 às 14:24

Boas, eu nsei de quando é este texto que escreveste...mas andava pelo google a procura de respostas para o que sinto e ao ler este texto apercebime que tiveste exactamente o mesmo que eu tenho agora e n sei resolver... sp que penso sair de casa começa o calor no estomago os arrepios , sempre a suar, se entrar otra vez em casa passa logo ! agora tenho 17 e fico preocupado pois o meu sonho é ir para a Holanda e tenho medo de querer trabalhar e ainda ter estes ataques... sbs alguma cosia que eu possa fazer para controlar isto ?
Rodrigo a 28 de Agosto de 2012 às 17:03

Muito obg vc me ajudou muito tbm sinto esse msm problema estou tentando superar, e tenho certeza que vou conseguir muito obg...
Natália a 29 de Setembro de 2012 às 02:21

Muito obg vc me ajudou muito tbm sinto esse msm problema estou tentando superar, e tenho certeza que vou conseguir muito obg...
Natália a 29 de Setembro de 2012 às 02:23

Obrigado, ajudaste-me muito, sabes? Eu passei pelo mesmo, exatamente, eu sentia que ia desmaiar, tremia e tinha exatamente os mesmos sintomas fiz os mesmos exames. Até parece que somos a mesma pessoa. Mas eu infelizmente também tinha uma depressão! que veio como consequencia da ansiedade, etc. Neste momento estou a passar uma fase dificil que me afeta mas que por outro lado me fez crescer.
Mauro Costa a 29 de Maio de 2013 às 18:38

tenho 56 anos e tenho ataques de panico desde os 12.já tomei muitas coisas mas nada os fêz desaparecer e foi sempre agravando.A minha vida ficou uma porcaria pois veio as fobias e o medo de ter medo...até perder amigos e não sair de casa.Fui reformada por invalidez e ando neste mundo sem poder gozar nada.
maria jose carvalho a 27 de Março de 2014 às 02:58

Novembro 2005
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
12

13
15
16
17
19

23
24
25
26

28
29


tags

todas as tags

mais sobre mim
pesquisar
 
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Se os virem... Avisem!
Eu, por acaso, gosto desta!
E quantos são? (desde 30.07.2008)
blogs SAPO