Era uma vez uma menina de 16 anos, que resolveu criar um blog para desabafar... E que agora, aos 21, continua a escrever. De teen a adulta; de Portugal à Holanda - A saga!

15
Ago 08

Esta semana estive, mais do que nunca, em contacto com pacientes (utentes!) neurológicos. E sabem que mais? Não foram as patologias em si que mais me impressionaram. Não foram os AVCs, as parésias faciais, os Parkinsons ou os tumores cerebrais. Não foram os braços que não mexem, nem as pernas que provavelmente nunca voltarão a andar com um padrão “normal”. Não foi a dificuldade na fala ou em demonstrar expressões faciais.

            Não me entendam mal; todas estas coisas me chocaram e se, de uma forma ou outra, não me tivessem tocado, eu não as teria referido. No entanto, o que mais me impressionou no meio de tudo isto, foram as condições em que muitas destas pessoas vivem.

            A parca assistência a que têm direito (quando a têm!), não chega, de modo algum, para as necessidades especiais destas pessoas. Em todos os aspectos, desde o psicológico até às mais básicas necessidades de higiene, noto uma negligência que me faz indagar se serei a única pessoa a aperceber-se deste facto. E, como não acredito que assim seja, pergunto-me se andarão todos a dormir, em vez de se mexerem para, pelo menos, tentar modificar as coisas.

            Desde (e em especial) as famílias destas pessoas até aos próprios funcionários de saúde, porque é que ninguém faz nada? Ou, se fazem, porque é que as coisas continuam como estão?

Será que chegámos a um ponto em que já ninguém se importa? E se chegámos, há quanto tempo foi isso e porque raios é que ninguém me avisou?! Não devo ter recebido o memorando.

 

 

Na quarta-feira aconteceu algo que me levou de volta a alguns anos (Meses? Semanas? Dias?) atrás. Felizmente, consegui agir de forma racional e ajudar quem precisava ser ajudado, da forma como me ajudaram a mim quando eu precisei. E, pela primeira vez, senti que, de alguma forma, valeu a pena ter passado pelo que passei. Pelo menos, soube o que fazer e o que perguntar.

publicado por Nana às 12:27
sinto-me: cansada...
música: Quem de nós dois - Ana Carolina

comentários:
Olá
bigad pela visitinha :)
realmente vivemos num mundo onde as pessoas só se interessam pelo seu bem, a sua felicidade e cada vez menos prestam atençao em quem precisa da nossa ajuda. Fecham-se na sua redoma de vidro, com todas as suas futilidades, e acham-se as melhores pessoas deste mundo.
Será que essas pessoas não vêem o mundo à sua volta? será que sofrem de algum síndrome? Cada vez mais chego à conclusão que sofrem do síndrome do egoísmo...Mas que podemos fazer na cabeça dessas pessoas os que necessitam de ajuda são os "coitadinhos". Só espero é que elas nunca cheguem a ser esses "coitadinhos".
Bjnx*
Rosa a 24 de Agosto de 2008 às 11:36

Espero chegar aos 20 anos ainda a escrever no Montanha Russa com o mesmo entusiasmo, como tu aqui no teu blog. :)
Sílvia a 3 de Setembro de 2008 às 22:15

Agosto 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
16

17
18
19
20
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30

31


tags

todas as tags

mais sobre mim
pesquisar
 
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Se os virem... Avisem!
Eu, por acaso, gosto desta!
E quantos são? (desde 30.07.2008)
blogs SAPO