Era uma vez uma menina de 16 anos, que resolveu criar um blog para desabafar... E que agora, aos 21, continua a escrever. De teen a adulta; de Portugal à Holanda - A saga!

27
Out 09

Eeeeeena pá, há tanto tempo que não ponho cá os pés!

Devia ter vergonha, isso sim! Abandonar assim um blog, onde é que já se viu?? Ai ai ai...

 

Bom! Vou então tentar fazer aqui um update dos meus últimos meses!

 

Em Junho voltei para Portugal, para completar o meu segundo estágio. Fi-lo na mesma clínica do ano passado, mas com um instrutor clínico diferente. A faculdade tentou arranjar-me problemas; não queriam que fizesse dois estágios no mesmo sítio, e blá bla.

Fizeram mil e uma ameaças diferentes que eu, que já sei o que a casa gasta, ignorei deliberadamente. E muito bem, uma vez que as ameaças não deram em nada e acabei por ter um bom estágio.

 

Voltei para a Holanda dia 3 de Outubro, para o meu terceiro (e último, espero!) ano de Faculdade. Se tudo correr bem, daqui a menos de 9 meses sou fisioterapeuta. O que é... estranho. Demasiada responsabilidade, se querem que seja sincera. Mas é bom, I guess!

 

Outra novidade na vida aqui da "je" é o facto de não estar a tomar antidepressivos há cerca de três meses. A medicação era algo que fazia parte da minha vida há já tanto tempo, que agora confesso que é estranho ir para a cama sem tomar o comprimido. Ou sair e poder beber à vontade, sem ter que me preocupar se tomei ou não medicação.

É... diferente!

 

Outra coisa interessante a registar é a diferença que noto em mim, este ano. Não sei se é por não estar sob efeito da medicação, ou se fui eu que simplesmente cresci durante o Verão.

A verdade é que, desde que voltei para a faculdade, sinto-me mais madura. Menos espalhafatosa, menos "olhem pra mim!", mais em paz comigo própria.

Sinto como se tivesse batalhado durante anos para me aceitar a mim própria e, de repente e sem mais nem menos, tivesse ganho essa batalha.

Os meus colegas notaram essa diferença. Uns dizem que gostam de me ver assim, mais "at ease". Outros, no entanto, dizem que não gostam. E eu sei, eu sei que não se deve ligar ao que os outros dizem, yada yada, mas a verdade é que me magoam esses comentários. Em especial quando são feitos por pessoas que me são próximas.

Porque, e se esta for a verdadeira EU? A Susana sem medicação, a Susana que não está sob o efeito de coisas que alteram a sua personalidade?

 

Eu própria estou a ter que me habituar a esta nova Susana. É, sem dúvida, uma experiência interessante. É como acordar com amnésia e ter que conhecer tudo à minha volta, incluindo eu própria.

 

 

Mudando de assunto; estou a fazer, na faculdade, um género de curso opcional, relacionado com comunicação.

Consiste em estarmos todos sentados, em círculo, e "partilhamos". O responsável pelo grupo trouxe um pau (aparentemente, viu-o numa floresta na Noruega, gostou e trouxe) e só quem tem o pau na mão é que pode falar. Sim, eu sei a quantidade de comentários maldosos que vos veio à mente... Cresçam, sim?

 

No início, fazia-me pensar naquelas reuniões dos Alcoólicos Anónimos que vemos nos filmes; quando me apresentei, "Hi, I'm Susana", confesso que estava à espera que respondessem "Hiii, Susanaaa". Como nos filmes. Enfim.

 

Afinal não tem nada a ver com isso, e é até bastante interessante. Todas as sessões (uma vez por semana) temos a sugestão de um tema para falar. Por exemplo, na semana passada tivemos que levar um objecto que fosse importante para nós, e explicar o porquê. Hoje, tinhamos que levar um poema ou texto do nosso país, que representasse algo para nós. Durante estas sessões tenho ouvido histórias fantásticas; gente tão diferente, com passados diferentes, culturas diferentes, países diferentes, culturas diferentes... É tão, tão bom!

 

Hoje, por exemplo, ouvi um trecho do Princepezinho em francês (que, para os mais distraídos, é a língua original deste livro), que é algo que todos deviam experimentar um dia; ouvi um poema em polaco, que explicava como é importante demonstrar o quanto amamos quem amamos, e como o nosso primeiro amor pode ser o último, ou o último pode ser o primeiro; ouvi uma canção de embalar em Frieslandês (não sei se é assim que se chama, é a língua oficial de Friesland); ouvi um poema em espanhol acerca de um homem apaixonado por uma mulher casada. Ouvi ainda outras histórias, acerca de como cada um lida com o stress. E, é claro, partilhei com eles um poema do Fernando Pessoa.

 

Depois disso tive uma sessão clínica, no Revalidatie Centrum Amsterdam. Era um caso de AVC, e eu fui escolhida para fazer a avaliação. Não só recebi elogios dos meus colegas, como ainda recebi um "I'm very satisfied" do meu Prof de neurologia. I'M VERY SATISFIED!! Gahh, ok, esperem só um bocadinho, que eu tenho que ir ali fazer a dança da vitória mais uma vez!!

 

....

 

Ok, voltei!

 

Anywhoooo, depois da sessão clínica fui para a biblioteca municipal (que é um ESPETÁCULO, lembrem-me de um dia vos falar dela). Tive a sorte de, quando lá cheguei, estarem dois homens a tocar no piano da entrada... Peças lindíssimas! Estive, portanto, das 20h às 21:30h a ler um livro da Nora Roberts e a ouvir tocar piano...

 

Tive ou não um grande dia??

 

Agora, para terminar, decidi escrever, coisa que não fazia há algum tempo. Suponho que, de vez em quando, seja preciso esperar até que a inspiração venha... ;)

publicado por Nana às 23:44
sinto-me: kinda happy... Weird, uh?!
música: War is over - Sarah Brightman

Outubro 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
14
15
16
17

18
19
20
21
22
23
24

25
26
28
29
30
31


tags

todas as tags

mais sobre mim
pesquisar
 
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Se os virem... Avisem!
Eu, por acaso, gosto desta!
E quantos são? (desde 30.07.2008)
blogs SAPO