Era uma vez uma menina de 16 anos, que resolveu criar um blog para desabafar... E que agora, aos 21, continua a escrever. De teen a adulta; de Portugal à Holanda - A saga!

30
Out 05

Pensei em escrever sobre a escola... Saiu-me isto... Se não entenderem, não faz mal... =) ***


Poder, ser capaz


Fazê-lo, conseguir.


Então, não ser capaz


Deixar, desistir.


 


Continuar a esforçar,


Energia, cansaço,


Quase morrer, parar,


E então a amizade, um laço.


 


Querer mais, sempre!


Lutar até vencer.


Defender, sonhar,


Nunca baixar, esconder.


 


Acima de tudo, em frente


Andar sempre, sem parar.


Atingir todo o querer


E por fim, descansar.


 

publicado por Nana às 14:52

Há muitas pessoas que eram capazes de tudo para ser famosas. Capazes de tudo, mesmo. Capazes até mesmo de estragar a imagem de outras pessoas para sempre (quem me conhece sabe do que é que eu estou a falar, não é?).

Agora, para mim, essas pessoas não sabem o que é ser famoso.

Claro, que deve ter o seu lado positivo, os fãs, o carinho e tudo mais... Mas... Será que o lado mau não é maior?

Por acaso dei comigo a pensar sobre isto ontem... A vida de uma pessoa muito muito muuuito famosa deve ser um bocado stressante. Acordar e saber que, ao ler o jornal, possivelmente estão a falar de ti e, provavelmente, 90% dos artigos serão mentira. Saber que mal podes sair de casa porque se o fazes és, quase de certeza, apanhado por uma multidão de fãs que mal te deixa respirar.

Saber que, como para todas as “super-stars”, devem haver uns quantos sites que se entitulam “Anti-o-teu-nome”. Saber que há montes de pessoas do sexo oposto (e até do mesmo sexo!) que juram a pés juntos que têm/tiveram um caso contigo. E acabas por ficar limitado, sem poder fazer coisas que nós, “pessoas vulgares”, quase nem damos importância. Ir fazer compras para casa. Ir a um centro comercial. Ir a um jardim. O simples facto de conhecer alguém deve acabar por se tornar difícil, uma vez que nunca sabes se te está a conhecer por ti ou pela tua fama. O mesmo deve acontecer com namorados/as. Ir passear o cão.

Ir a uma praia, sem andar em constante preocupação se alguém te está a fotografar. Ir a uma discoteca sem ser interpelado por pessoas que pensam que te conhecem, mas que tu não conheces de lado nenhum. Lá diz a canção do Bryan McFadden: “No one knows me, but they know my name”… Deve ser realmente muito chato.

Por tudo isto e muito mais, é que eu me alegro por ser uma pessoa anónima. E tenho uma certa pena de quem é famoso. Porque, como já disse no início, deve ser uma faca de dois gumes: por um lado, gratificante. Por outro, a pior coisa que te pode acontecer.

 

(E do que é que eles estão à espera para nos dar notícias sobre o caso do Ronaldo, hein??)

publicado por Nana às 10:48

Outubro 2005
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
11
14
15

16
18
19
22

23
25



subscrever feeds
tags

todas as tags

mais sobre mim
pesquisar
 
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Se os virem... Avisem!
Eu, por acaso, gosto desta!
E quantos são? (desde 30.07.2008)
blogs SAPO