Era uma vez uma menina de 16 anos, que resolveu criar um blog para desabafar... E que agora, aos 21, continua a escrever. De teen a adulta; de Portugal à Holanda - A saga!

27
Mai 07
Estive a pensar acerca de mim mesma, e cheguei à triste conclusão de que não sou especial em absolutamente nada. E, se quando descobri isto, fiquei aborrecida, agora encaro-o como um facto da vida.

Sou daquele tipo de pessoas que, simplesmente, não nasceu para brilhar em absolutamente nada. Porque há pessoas e “brilhos” para todos os gostos: desde música, pintura, escrita, até às coisas mais “banais” como saber dizer boas piadas ou até fazer bons aviões de papel.

Eu nem aos aviões de papel chego. A sério. Tentei fazer um agora mesmo e só não lhe tiro uma foto e a ponho aqui porque acabei de o amachucar e deitar para o lixo. Se bem que amachucado não ficou tão mau.

Ora, tendo em conta o facto de não ter jeito para absolutamente nada, pergunto-me como será o meu futuro. Acabo de tirar fisioterapia e a primeira coisa que faço no estágio é partir um braço a um cliente? Penso que não será grande coisa a pôr no currículo.

Enfim, como já disse anteriormente, é um facto da vida: sou uma nulidade. Em tudo. Agora vou tentar decorar a lista telefónica. Quem sabe se não será esse o meu “brilho”.
publicado por Nana às 15:16

25
Mai 07
Nestes últimos meses tenho convivido com pessoas com as quais, regra geral, não conviveria se não tivesse ido trabalhar. Temos, de facto, vidas e ideais completamente diferente.

Hoje, ao pensar nisso, constato que, após todo este tempo de convivência, vou ter saudades de muitas dessas pessoas, agora que me vim embora. A verdade é que, de tão diferentes que somos, acabamos por ser iguais. Não sei se me faço entender. Talvez não.

O que quero dizer é que me habituei a lidar com todas essas pessoas e, agora que tudo acabou, acabo por ter que admitir a mim mesma que vou ter saudades de muitas das “pancadas” que por lá passavam.

Ser operadora de caixa é, sem dúvida, uma profissão difícil. Muito mais difícil do que qualquer pessoa que nunca o tenha sido possa imaginar. Regra geral, pensa-se que ser operadora de caixa é estar sentada o dia todo, a passar códigos de barras pela máquina. Bip, bip, bip. Bahh. Eles não sabem. Mas também, para quê explicar?

Resta-me apenas dizer que, apesar de todos os dissabores, de todas as vezes que me fizeram chorar, de todas as vezes em que me fizeram sentir incapaz, este vai ser um trabalho do qual nunca me vou esquecer. Não só por ter sido o primeiro, mas por ter aprendido mais do que o que poderia esperar. Não sobre química nem biologia, mas sobre as pessoas e o seu “modus vivendi”. E, no fim das contas, não é isso o mais importante?
publicado por Nana às 21:57

10
Mai 07
Hoje estou um pouco desiludida com a nossa sociedade. Honestamente que estou. Ou tudo mudou repentinamente ou fui eu que abri os olhos de repente para a vida.

Ora, alguém faz o favor de me explicar desde quando é que não é suposto nós, raparigas, sorrirmos para um senhor, seja ele de que idade for? Ou, refazendo a pergunta, desta vez de forma um pouco mais explícita, desde quando é que um sorriso passou a ser considerado algo que determina interesse libidinoso?! Eu, muito sinceramente, já tenho medo de sorrir aos clientes.

Serei só eu, ou é realmente algo triste da nossa sociedade o facto de eu já ter recebido 7 números de telefone e inúmeros convites para ir tomar um café, apenas porque tento ser simpática e mostrar um sorriso? É que juro-vos mesmo que não me tinha apercebido o quão perversa pode ser a sociedade em que vivemos!

Ora hoje, durante o almoço, como estava sozinha, fui almoçar para uma tabacaria. Levei o meu almoço e fui para lá, porque me sinto bem com o senhor. É um senhor com quem partilho o mesmo gosto em livros, filmes, com quem já falei imenso, que já me contou coisas sobre a sua vida privada (nada de muito privado, para o caso de estarem a pensar coisas)... Não imaginam o choque que foi, quando ele me disse que era melhor eu não ficar lá muito tempo, porque “sabe, as pessoas podem pensar coisas erradas...”! Coisas erradas?! Pelo amor de Deus, o homem tem idade para ser meu pai! Se calhar, bem esticadinho, até tem idade para ser meu avô!! Que raio poderiam pensar as pessoas??

Será que isto quer dizer que, com o passar do tempo e, tenho em conta a minha adaptação aos tempos em que vivemos, no futuro a tendência é eu ter cada vez menos amigos e cada vez mais amigas? E, se a resposta é sim, porquê?? O que é que há de errado na amizade entre sexos opostos?

Não poderá existir o sol da amizade, sem a nuvem negra do sexo a tapá-lo?

P.S.: Pelo sim e pelo não, lembrem-me de não piscar o olho a clientes. Não vão eles pedir-me em casamento.
publicado por Nana às 22:18

Maio 2007
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
11
12

13
14
15
16
17
18
19

20
21
22
23
24
26

28
29
30
31


subscrever feeds
tags

todas as tags

mais sobre mim
pesquisar
 
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Se os virem... Avisem!
Eu, por acaso, gosto desta!
E quantos são? (desde 30.07.2008)
blogs SAPO