Era uma vez uma menina de 16 anos, que resolveu criar um blog para desabafar... E que agora, aos 21, continua a escrever. De teen a adulta; de Portugal à Holanda - A saga!

23
Nov 08

Quem lê este blog desde o início, sabe que eu sofro, desde os meus 16, 17 anos, de uma... chamemo-lhe “condição”, amiúde designada por, entre vários, “Síndroma do pânico”. Para quem nunca ouviu falar, este consiste em sofrer ataques de pânico, em determinadas alturas várias vezes ao dia, sem qualquer motivo em especial. Portanto, todos aqueles sintomas; os tremores, a arritmia, os suores, os vómitos, a sensação de que se vai morrer dentro de segundos. Geralmente, vem também acompanhado pela minha amiga Agrofobia, que significa medo de estar em lugares abertos ou com muita gente.

Quando tudo começou eu, tendo a idade que tinha e não compreendendo o que se passava comigo na altura, passei por fases complicadas, chegando mesmo a não conseguir de casa durante semanas, sendo que o simples pensamento de sair me deixava a tremer.

Após decidir que os psicólogos não me podiam ajudar (o último ainda ajudou um pouco, mas a psicologia apenas não chegava para o ponto a que eu tinha chegado), comecei, aos 18 anos, a ser acompanhada por um psiquiatra. Confesso que tive medo – tive medo que as pessoas achassem que eu estava maluca por ir a um psiquiatra, medo de estar, de facto, maluca. No entanto, a minha vida tinha chegado a um estado em que, ou era isto, ou não era nada.

Quando o psiquiatra me disse que havia tratamento e que eu podia voltar a fazer a minha vida “normal”, senti algo de inexplicável. Uma euforia, uma vontade de chorar – desta vez, de alegria...

Comecei então a fazer tratamento; antidepressivos, todos os dias, e um ansiolítico para os casos de SOS.  

Passaram-se cerca de dois anos e, após meses e meses sem sinal de pânico, resolvi que estava curada. Acompanhada pelo meu médico, claro, comecei a fazer o “desmame” dos medicamentos. Comecei em Janeiro e, em Julho deste ano consegui, por fim, deixá-los.

Passaram-se meses e, há cerca de um mês atrás, os sintomas voltaram. Não posso explicar, não consigo explicar, a frustração que foi para mim. Comecei a ter ataques de pânico na escola e, por fim, deixei de conseguir sair de casa.

Confesso que foi assustador encontrar-me, uma vez mais, nesta situação. Foi como se estes anos a ser medicada não tivessem valido a pena, como se o esforço de 7 meses para fazer o desmame da medicação... Enfim, tudo, foi tudo em vão.

Chorei, gritei, decidi deixar tudo, voltar para Portugal e fechar-me em casa para sempre. Anunciei a alguns membros da minha família e amigos que ia regressar.

No entanto, não o fiz. Regressei à medicação. Já vou conseguindo sair de casa e ir a aulas, embora ainda me custe. De vez em quando dou por mim a tremer, ou a hiperventilar.

É mau, confesso e, como já disse antes, muito, muito frustrante. Saber que vou ter que repetir todo este processo outra vez. Saber que provavelmente esta não será a última vez pela qual o repetirei. Saber que seria tão mais fácil desistir. Simplesmente, desistir.

Mas não. Já enfrentei este boi de frente uma vez e, se o consegui com 16 anos, vou consegui-lo outra vez agora. Porque tenho, felizmente, o apoio de todos os que me amam, apoio esse que agradeço todos os dias. Porque tenho uma vida apenas, e quero vivê-la como eu quiser, e não como esta “condição” quiser. Porque eu TENHO o direito a uma vida “normal”.

E, acima de tudo, porque eu QUERO.

Obrigada a todos pelo vosso apoio nestes momentos; foram de grande, grande importância para mim. Adoro-vos!
 

publicado por Nana às 19:42
sinto-me: Com medo, mas com força
música: Diego Torres - Tal vez

01
Nov 08

A Diana propôs-me um desafio, que consiste basicamente em postar uma foto minha (que farei numa altura mais adiante) e, depois, escolher um artista e responder a algumas perguntas com trechos de letras de músicas desse artista. Eu escolho o Glen Hansard e a Markéta Irglová, mais propriamente a BSO do filme “Once”. Pois, cá vai!


P: És homem ou mulher?
R: I'm on my knees in front of him
But he doesn't seem to see me
(Complicado responder a esta com a letra de uma canção!)

P: Descreve-te.
R: You have suffered enough
And warred with yourself
It's time that you won.

P: O que acham as pessoas de ti?
R: Take this sinking boat and point it home
We've still got time
Raise your hopeful voice you have a choice
You've made it now

P: Como descreves o teu último relacionamento?
R: But all his troubles on his mind is looking right through me
And I'm letting myself down deciding is falling you
And I wished that you could see I have my troubles too...

P: Descreve o estado actual da tua relação com o teu namorado ou “pretendente”.
R: Falling slowly sing your melody
I'll sing along

You're moving too fast for me
And I can't keep up with you...

P: Onde querias estar agora?
R: Looking up the hill tonight
When you have closed your eyes

P: O que pensas a respeito do amor?
R: There comes a point in every fight
When giving up seems like the only way
When everyone one has said goodbye
And now you're on your own

P: Como é a tua vida?
R: I'm scratching at the surface now
And I'm trying hard to work it out
So much has gone misunderstood
This mystery only leads to doubt

Cause this is what you've waited for
Your chance to even up the score
And as these shadows fall on me now
I will somehow

P: O que pedirias se pudesses fazer um desejo?
R: I'm gonna be free
I'm walking on moon beams
and staring out to sea

and if a door close
then a road for home start building
and tear your curtains down
for sunlight is like gold

P: Escreve uma frase sábia.
R: Cause if your skin was soil
How long do you think before they start digging
and if your life was gold
how long would you think you'd stay livin'?

E pronto, cá estão as minhas respostas. Sei que não pareço ter uma vida muito feliz, mas a verdade e que me decidi por este artista antes de começar e não quis desistir a meio. No entanto, a maioria das respostas fala verdade.

Quero enviar este repto a todos os que lêem este blog; é interessante e acaba por nos fazer reflectir... Experimentem!
 

publicado por Nana às 12:31
sinto-me: o q trará o fim de semana?
música: Lies - Once OST

Novembro 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
17
18
19
20
21
22

24
25
26
27
28
29

30


subscrever feeds
tags

todas as tags

mais sobre mim
pesquisar
 
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

blogs SAPO