Era uma vez uma menina de 16 anos, que resolveu criar um blog para desabafar... E que agora, aos 21, continua a escrever. De teen a adulta; de Portugal à Holanda - A saga!

05
Mar 10

Isto não haja dúvida que as pessoas são muito diferentes umas das outras.

 

Existem as pessoas normais, que fazem as coisas com moderação. E, depois, existo eu, que sou menina para beber 1 litro de Chocomel (versão holandesa do leite com chocolate) de seguida e depois fico mal disposta durante horas.

 

Note to self: Next time you wanna do something stupid, try sticking your freaking head into the oven. Do not, I repeat, DO NOT, drink Chocomel. Dankjewel.

 

 

PS: No outro dia, estava a falar em holandês com o meu vizinho de cima (que, no outro dia, me veio perguntar se eu moro aqui. Eu moro aqui há TRÊS anos!), e ele disse-me que o meu holandês é 'knap'. Eu fiquei toda orgulhosa e babada, é claro. E, quando cheguei a casa, fui a correr para o Google Translator, para ver o que 'knap' queria dizer.

publicado por Nana às 23:54
sinto-me: my dutch is KNAP!! Hell yeah!
música: Hey big spender

18
Fev 10

Boas noites, minha boa gente.

 

Venho, hoje, por este meio informar-vos que o que todos vocês desconfiavam se confirma: sim, eu estou louca. Prontinha para começar a frequentar uma instituição psiquiátrica. E passar lá um bom tempo.

 

E porquê isto agora? - perguntam vocês.

 

É muito simples. Vocês sabem -  ou pelo menos desconfiam - a tortura que têm sido, para mim,  estes últimos meses. Sem saber se passava a tese, se não passava. Porque, se não passasse, não me deixavam fazer o meu terceiro estágio o que, por sua vez, implicava ficar na Holanda durante os próximos três meses, em vez de ir para Portugal.

E o simples pensar em não ir para Portugal durante estes três meses deixava-me doente. Porque estou farta da faculdade, porque tenho saudades de falar português, porque abrir a janela e ver tudo branco lá fora já me deixa um pouco desesperada.

 

No entanto - e felizmente - as coisas correram bem e tive uma nota positiva na tese.

Grande festa, grandes celebrações, wohooo, vou para Portugal daqui a duas semanas.

 

E estou feliz, não me entendam mal. Voltar para Portugal alegra-me; ver a minha família, os meus amigos, falar a minha língua, comer comida decente... tudo isto faz com que eu sorria.

 

Então, mas porque é que dizes que estás louca? - perguntam vocês outra vez.

 

Muito simples: porque, apesar de o facto de ir para Portugal me deixar feliz, ao mesmo tempo também me deixa triste!

É TÃO irritante! Mas, ainda assim, é verdade.

 

Não sei bem explicar porquê mas, nas últimas duas ou três vezes que tenho ido para Portugal, parte de mim fica triste.

Porque, apesar de estar farta de tudo, há sempre coisas às quais já me habituei, as quais já fazem parte da minha vida. E as pessoas. Fiz amigos cá, e vou passar três meses sem eles. E, um mês depois de voltar, o curso acaba e muitas dessas pessoas vão voltar para o seu país.

 

É, portanto, o fim de uma fase da minha vida. Mais uma. E vocês sabem que eu fico sempre nostálgica quando isto acontece. Mas desta vez parece que custa ainda mais. Penso que é porque não me estou a despedir apenas de uma escola, mas de um país. Não apenas de pessoas que moram na mesma cidade que eu - e que posso ver frequentemente - mas de pessoas que moram em países diferentes.

 

E pronto, é isto. Penso eu. Parte de mim está eufórica por poder voltar a Portugal. A outra parte está um bocado deprimida, pelo mesmo motivo.

 

Diagnótico: maluquinha.

 

PS: Parabéns ao meu blog, que fez 5 anos!

publicado por Nana às 19:39
sinto-me: Feliz/ Triste
música: Gravity - Sara Bareilles

16
Fev 10

O prof passou-me a tese. Passei. Passei!!! Passeeeeeiiii!!!! AHHHHHHH!! PASSEI!!!! Passei passei passei passei passei passei passeeeeeeeeeiii!!!!

 

 

E pronto, era só para dizer que a passei.

 

*Dança da vitória*

 

O que significa que daqui a menos de um mes estou em Portugal.

 

YAYYYYYY!!!!!!

 

(depois conto so pormenores, agora estou muito ocupada a dançar e a planear uma bebedeira para celebrar o feito)

publicado por Nana às 22:13
sinto-me: Vitoriosa!
música: We are the champions - Queen

04
Fev 10

Só para não dizerem que eu só cá venho deixar coisas tristes, hoje tenho uma coisa engraçada para vos contar. Ou que, pelo menos, foi engraçada para mim. Se vocês lá tivessem estado também achavam piada, mas como não estiveram, não sei. Já se vê.

 

Ora, hoje foi dia de aprendermos a engessar pernas. Em princípio não vamos fazer isso como fisioterapeutas, mas há muito que a minha faculdade se deixou de preocupar com esse tipo de pormenores. Adiante.

 

Lá estamos nós, excitados como se fossemos putos de 10 anos numa aula de trabalho manual. O prof começa por mostrar-nos todo o material, que incluía o gesso em rolos, as tesouras estranhas, os tubos (que são usados para depois deixar uma folga no gesso, para que seja mais fácil cortá-lo), os baldes de água quente e last, but not least, um enorme balde de vaselina (para que os pêlos de que não depila as pernas/ braços fossem poupados).

 

Chega então a altura de fazermos moldes de gesso para o antebraço - antes disso fizemos para a perna e, apesar do meu não ter saido particularmente perfeito (Sim, ex-professora de EVT, tudo o que me disse é mentira, eu sei!), a coisa podia ter corrido pior.

 

O prof decide demonstrar num colega como fazer o molde para o braço.

 

O problema foi o que aconteceu antes dessa demonstração. Um dos meus colegas, que estava sentado ao meu lado, teve a feliz ideia de fazer comentários acerca do gigantesco balde de vaselina. A vaselina era vermelha, o que imediatamente levou a que fosse baptizada "Red-light Vaseline". Moramos todos há quase 3 anos em Amsterdam - não se podia esperar outra coisa. Depois, o rapaz teve a brilhante ideia de sugerir (isto, claro, sem o prof ouvir) que o balde era, de facto, utilizado para fins menos próprios pelo prof, que de certeza o tem debaixo da cama em dias normais.

 

A partir daqui, a coisa descambou. Isto porque, depois de todas aquelas insinuações, tudo o que o prof dizia, ao explicar o que estava a fazer, podia ter duplo sentido. Do género:

 

"Ok, so now you put it in water, to make it softer." ("Ok, agora põe-se em água, para que fique mole")

"Be careful not to slap your patient's face with it." ("Cuidado para não dar com isto na cara do utente")

"At first, remeber not to include the thumb." ("Na primeira fase, lembrem-se de não incluir o polegar")

"All the work has to be done while it is wet." ("Todo o trabalho tem que ser feito enquanto ainda está húmido")

 

É claro que, a determinada altura, o prof percebeu o que se estava a passar, uma vez que nós simplesmente não conseguíamos parar de rir. Então, olhou para mim e disse:

 

"And now, to make Susana's face even more red: remember to always stroke it, very gently." (E agora, para fazer com que a Susana fique ainda mais vermelha; lembrem-se sempre de massajá-lo, muito suavemente")

 

Risota total. Penso que há já um bom tempo que não me ria tanto. Soube bem e, acima de tudo, foi bom saber que o prof entendeu e não levou a mal.

 

Ai ai, isto de ter uma mente porca (ou ligeiramente menos limpa, se preferirem), que consegue dar um sentido diferente a quase tudo o que se lhe diz, tem destas coisas...

publicado por Nana às 20:59
sinto-me: ainda preocupada com a tese
música: "we just touched awkardly"

27
Jan 10

Olá meus queridos leitores imaginários (sim, que eu bem sei que fora a minha mãe, esta casa está ao abandono).

 

Ora, como já lá diz o ditado, um mal nunca vem só. Não vem não senhor, e cá estou eu para provar esta teoria (sim, que as coisas agora só funcionam comigo quando a prática é baseada na evidencia. Hm. Pois). Mais uma vez aviso, não é que eu não saiba escrever evidencia decentemente, é só que estes teclados não tem acento circumflexo - deal with it.

 

Vejamos o meu dia de ontem.

Fui 'convidada' por um prof de quem eu gosto muito e que, por sua parte, também gosta muito de mim (sarcasmo puro, duro e intencional) a aparecer no escritório dele, para falarmos sobre o meu próximo estágio.

Até aí tudo bem - pensei eu. Isto de ser ingénua tem que se lhe diga, upa upa.

 

A primeira coisa que o animal- perdão, o professor - me disse foi que não vou comçar o meu estágio em Março. 'Não vou? Então porque?' - perguntei eu. Resposta: 'Ah pois, o Bob ainda não te disse, mas disse-me a mim que tu chumbaste a tese, e assim sendo não podes começar a estagiar ao mesmo tempo que os outros'.

 

WAAAAIT a second.

 

Eu chumbei?? Estão a ver a minha cara de WTF a olhar para ele, não estão? Pois.

 

Ao que parece (depois da reunião fui falar com o Bob que, para quem não sabe, é o coordenador da minha tese), o que entregámos até agora não é bom o suficiente.

'Mas a data limite é dia 5, muitas alterações podem ser feitas até dia 5!', argumentei eu, esquecendo-me que com estes ordiná- perdão, outra vez, professores - não existem argumentos para além dos deles.

Resposta: 'Pois Susana, a data de entrega é dia 5, mas EU vou de férias dia 30 e só volto dia 8. Por isso não vou poder ler a versão final antes de lhe dar a nota e, para já, a nota é negativa.'.

 

WTF?!?!?!

 

JURO que isto foi exactamente o que ele me disse. Assim, na minha cara. Como se fizesse todo o sentido do mundo. Como se me estivesse a explicar que 1+1=2.

 

Pior ainda, é que este filh- ai, caraças, professor! - é também o manager do programa, portanto não há ninguém a quem eu possa fazer queixa dele. Espectáculo.

 

 

Mas se pensam que a coisa ficou por aí, desenganem-se!! Ainda não vos contei como terminou a reunião com o primeiro prof.

 

Ora, depois de me ter dado (com um sorriso de satisfação que não vos passa pela cabeça) a tal notícia, a reunião continuou.

 

'Em relação aos seus estágios, Susana... Os dois primeiros que fez, foi em Portugal e na mesma clínica, não foi?'

'Sim; coordenadores de estágio diferentes, mas mesma clínica.'

'E agora quer fazer o terceiro e último estágio em Portugal outra vez? Porque?'

(Porque em Portugal não tenho que aguentar o teu mau hálito??)

'Sim, bom, é uma clínica diferente, que tem boa fama em todo o país.'

'Sim, mas não é estranho? Que queira ir para Portugal outra vez?'

(Olha-me este ordinário, queres ver que se ele vivesse o ano inteiro longe da família também não queria ir passar o Verão a casa??)

'Não, não acho que seja estranho... É uma boa clínica e eu no futuro quero trabalhar em Portugal, por isso penso que faça todo o sentido ir para lá outra vez'

'Ah, pois... É que sabes, nós temos certas dúvidas em relação aos teus estágios'

(Ah sim? Eu tenho dúvidas em relação à tua orientação sexual e não te chateio com isso)

'Dúvidas? Que tipo de dúvidas?'

'É que não temos a certeza se fizeste as horas necessárias... ou se fizeste o estágio de todo!'

(Agarrem-me, que eu vou-me a ele! Faço como a outra e arranco-lhe um tomate à dentada!)

'Pois, não percebo o porque desse tipo de dúvidas. Tenho ambos os meus relatórios de estágio avaliados e assinados pelos meus coordenadores de estágio e pelo meu mentor na escola. Nesses relatórios está também a descrição das horas que trabalhei'

'Sim sim, mas podias ter inventado. Para falar a verdade, nem sei se essa clínica Santa Casa da Misericórdia de Setúbal existe mesmo!'.

 

!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

 

Nesta altura comecei a ver tudo vermelho e não me lembro bem do resto da conversa.

 

Portanto, como podem ver, ontem foi um daqueles dias. E depois de amanhã vou defender a tese. A qual, aparentemente, já chumbei.

 

E depois admiram-se que eu ande na rua a dizer palavrões. Que fo**** car**** filhos da p***.

publicado por Nana às 12:22
sinto-me: F***da

20
Jan 10

Ora bem,

 

Depois de ter escrito o meu último post, decidi que só cá voltava a escrever quando acabasse a tese. Isto porque o último post estava demasiado 'passive-agressive', e toda a gente que me conhece sabe que daí à depressão são dois passinhos para moi.

 

No entanto, decidi cá vir hoje. Porque continuo a sentir-me da mesma maneira. Ok, talvez não da mesma maneira; ligeiramente pior.

 

Vou defender a tese dia 29, portanto daqui a 9 dias.

 

- E já tens a tese pronto, Susaninha? - perguntam voces (desculpem, este teclado não tem acento circunflexo))

- Não tenho não senhor!

- E o teu colega já fez alguma coisa para a tese? - voltam voces a perguntar (epá, cuscos!)

- Não fez não senhor!

- Então como é que vais passar essa cadeira e, dessa forma, ser admitida para o teu último estágio? - perguntam voces.

 

Pois.

 

E o pior é que já gastei todas as minhas formas de combater o stress, até à última gota:

 

- Dizer todos os palavrões que conheço, em todas as línguas que me lembre? Check!

- Chorar? Check!

- Negar que tudo isto me está a acontecer? Check!

- Tornar-me numa pessoa negativa e assustar todos os alunos do 1o ano do meu curso? Check!

- Deixar de comer? Check!

- Comer demasiado? Check!

- Fazer exercício de forma a esquecer os problemas? Check!

- ...? Check!

- ...? Check!

- ...? Check!

....

 

O próximo passo é atiginr o meu colega de tese na cabeça com um ferro de engomar ou tornar-me adepta das coffee shops e utilizar alucinogénios para esquecer as últimas semanas. Ou ambos. Sim, ambos parece-me uma boa ideia...

 

Depois digo como foi. Se me deixarem usar internet na prisão ou no Centro psiquiátrico.

Até lá.

publicado por Nana às 12:20
sinto-me: Quero desaparecer daqui!!

15
Nov 09

Isto a minha vida é uma comédia. Mas daquelas boas, em que toda a gente ri até chorar.

 

Então não é que a minha faculdade me está a OBRIGAR a escrever a minha tese com uma pessoa que, basicamente, não faz nada?? Não trabalha, nunca chega a horas para a reunião e, tudo o que apresentou até agora, foram 'copy-paste' ou traduções da ferramenta de línguas do Google.

 

Não é hilariante?? Epá, não sei como é convosco, mas a mim já me doem os abdominais de tanto rir!

publicado por Nana às 19:19

02
Nov 09


 

Lembram-se daqueles inquéritos, com perguntas parvas? Aqueles, aos quais respondíamos quando tinhamos 13/14 anos?

Então, encontrei agora um do género, mas em inglês... E entre agir de acordo com os 21 anos que tenho e ir escrever um relatório super (des)interessante ou voltar aos meus 13 anos e responder ao inquérito... Pois, penso que adivinharam a escolha!

 

Ora, então, cá vai! (E vou responder a inglês, só porque há expressões que só fazem sentido em inglês e porque, como estou cansada, o inglês faz mais sentido):

 


Q: Do you like the smell of Axe?

Oh, wow. Talk about a RANDOM start!


Q: Are you happy in life right now?

That's a tricky question, considering I'm usually never fully happy about anything.


Q: What are you listening to?

My stepdad brushing his teeth... charming.


Q: What's your number 1 favourite band?

Hm, hard to say... There are too many.

 

Q: How many siblings do you have?
That would be 3. Two brothers and one sister, all older.

 

Q: Do you get along with your mother more, or father?

I'm lucky enough to get along with both, actually.

 

Q: Do you type fast?

That would depend on who you're comparing me with. I remember seeing this woman on a TV show, I think she had the world record or something. She types faster than I do, for suuure!

 

Q: Are you straight? Gay? Bi?

As far as I know, I'm straight.

 

Q: Do you have a problem with gay people? 

Nope. I feel as comfortable close to someone who's gay, as I do close to someone who's straight.

 

Q: Do you believe in love at first sight?

I used to. Now I believe in attraction at first sight. Not as romantic, but equally rewarding :)

 

Q: When was the last time you went to the mall? 

Erm... That would beeee... 3 days ago! Damn you, economic crisis!

 

Q: What are your grades like? 

That depends on the subject and on how into that subject I am. Kinda like a rollercoaster of grades reflected on my own taste.

 

Q: Do you have a good eyesight? 

Sure. When I'm wearing my glasses.

 

Q: What are your favourite colours?

All of them. Except brown. I'm not a big fan of brown.

 

Q: What are your favourite colour combinations for cloths? 

Red/Black. White/Green. I don't know.

 

Q: Are you for premerital sex? 

I'm not considering getting married any time soon, so... yes.

 

Q: Do you think everything happens for a reason? 

Not really. I mean, sometimes I think things happen to me because I was a terrible bitch on my last reincarnation, but that's just when I'm pissed off at something.

 

Q: Do you find yourself attractive? 

Not quite, no.

 

Q: What are you going to do after this survey? 

What I should be doing right now, actually: writting a Project Plan for my thesis.

 

Q: Have you ever spit on someone? 

Sure, that's what I do for fun! I go around spitting on people. That's actually how I met most of my friends! (I'm sorry, stupid question, stupid answer.)

 

Q: What's one of the funniest things you've ever done? 

I came up with this pretty awesome word. I can't really spread it though, it involves someone who'll be grading me in college, so I better keep it for myself.

 

Q: Do you wake up in good moods? 

That depends on the reason why I woke up. Did I wake up because I felt like it, or did I wake up because my mother decided to get into my room screaming, asking me if I have dirty clothes in my room?

 

Q: What time do you go to bed? 

I don't know. I guess from 12 to 3am is the common time for me to go to bed.

 

Q: Do you like guns? 

Depends on who's holding it! If it's pointing at me, I hate it. If it's pointing at someone who wants to hurt me, I must admit I kinda like it.

 

Q: Do you know about the Holocaust? 

I know it happened, but don't ask me any specific dates or anything. Im not good with specifics.

 

Q: Have you ever filmed/ taken pictures of someone going to the bathroom? 

Nop. I do recall having some pictures taken when I was sitting on the toilet, though. I was about 3 years old, so don't freak out.

 

Q: Do you wear makeup?

Trust me, you don't want to see me without it. Have you ever watched The Exorcist? Yeah, somewhat like that.

 

Q: How long does it take you to do?

To put my make-up on? Tss, I don't know, 5 minutes?

 

Q: Is this survey fun? 

Not quite, but it's better than writting the freaking Project Plan.

 

Q: Have you ever been told you're a bad kisser? 

Nope. Have you heard something??

 

Q: What colour is your hair?

Right now? Dark brown. A week ago it was half blond/ half brown, though. Yes, very fashionable. (it was actually terrible, I still can't believe I walked around like that for a month!)

 

Q: Are you in love right now? 

Sure! I love everybody!

 

Q: Do you wish that person loved you back? 

Would I want everyone to love? Meh, sure, why not?

 

Q: Do you lie?

When I have to, yeah. And sometimes I do when I don't have to as well, just so I won't lose it.

 

Q: Do you do drugs? 

I don't. Unless you consider chocolate a drug. If you do, I'm a junkie!

 

Q: Have you ever drank? 

I'm drinking water right now!

 

Q: Do you know anyone who does drugs? 

Erm... I live in Amsterdam, enough said.

 

Q: Do you sleep? 

Ok, from all the random questions, this is the worst! Of course I sleep, don't you?

 

Q: What do you do to get noticed by someone you like? 

Hm... I make a fool of myself quite often, and it seems to work just fine!

 

Q: Are you a jealous person? 

Sometimes... But I like to consider my jelousy as of the "healthy" kind.

 

Q: Which perfume do you use? 

Right now, this really good one, called Laura.

 

Q: What's the weirdest thing you've ever done? 

Can't really reveal it here, but trust me when I say... weeeeeeirdoooo!

 

Q: Do you like beer?

Not really. Much rather drink a Bacardi-Coke or something on that ground. 

 

Q: Have you ever jumped in a pool with your clothes on? 

Never. I'd probably never do it, because I'd be too conscious about ruinning my clothes. Yes, I know, I'm pathetic.

 

Q: What side of the bed do you sleep on? 

I sleep all over my bed. More on the right side, though.

 

Q: Pork, beef or chicken? 

Hmmm, pork. Unless I feel like eating "healthy", then I'll go for chicken.

 

Q: What leg do you put in pants first when putting them on? 

The left one. Probably because my right leg is my dominant leg, so if I need put my whole weight on one leg, I'll do it first on my right. and BAM!, you've been physio-ed!!

 

Q: Candles or incense? 

Candles. Freaking incense gives me nausea.

 

Q: Do you like to dance when no one is watching? 

Hell yeah! And, if I may say so, I rock it! :p you should see me when I'm waiting for the metro and... oh well, never mind.

 

Q: Did you play doctor when you were little? 

Nah, I played casheer! Little did I know I'd experience the real thing as a grown-up and not like it al all!

 

Q: Have you ever taken your clothes off for money? 

Not really. But I'm kinda broke right now, so if you have a good offer, we can talk about it :)

 

Q: Shower or bath? 

Shower. Wastes less water (yes, I'm all about that saving the planet crap). And, besides, there's something about sitting there, soaking in my own skin fat, that doesn't quite appeal to me.

 

Q: Do you love someone? 

As I said before, I love everybody!

 

Q: Do you have a tattoo? 

Why yes, I do! Right above my C7 vertebrae processus spinosus, I've got the chinese characters for friendship :)

 

Q: Mexican or chinese food? 

Since I hate chinese food, I'll go with the mexican. Or just a glass of water, please. Or pizza.

 

Q: A crazy night out with friends or a quiet night of movies and dinner? 

Both. How 'bout a crazy night with whomever I was going to go for movies and dinner? (uhhh, kinky!)

 

Q: Right or left-handed? 

Right-handed. Very unoriginal, I know.

 

Q: How many pillows do you sleep with? 

One. Or none.

 

Q: Your favourite restaurant? 

I'm not a restaurant person. I'd rather stay at home and eat whatever's in the fridge. Yes, I'm very low-maintenance ;) Although, I must say, there's this chinese restaurant close to the Red Light District.. sooo good! Plus, it's cheap! As I said before, I'm not even a big chinese food fan, but that restaurant.. hm hmm!

 

Q: Have you ever wished anyone dead? 

Kinda have. I'm not proud about it though.

 

Q: Beer, wine or liquor? 

Liquor.

 

Q: Love or money? 

Can't I have both??

 

Q: Credit cards or cash? 

Well, thing is, I'm kinda paranoid when walking around with cash. Sooo, I'll go with credit cards.

 

Q: Has there ever been anyone in your family you wish wasn't family? 

Nah, not really. I mean, I don't get along with everybody in my family, but I don't give two craps about them.

 

Q: Oreos or Vanilla Wafers? 

Oreos!!

 

Q: Would you rather go camping for 5 days or to a 5 star hotel? 

Are you kidding me? Take me to the hotel NOW!

 

Q: Would you shave your entire body (including your head)? 

Not voluntarily, no.

 

Q: Do you find that this survey had some original questions? 

Yeah, the last one was mind blowing!

 

Q: What is your boyfriend's name? 

John Mayer. He doesn't know it yet though, so let's make this our little secret.

 

Q: How is the weather right now? 

The curtains are closed and I don't feel like getting up to check, but according to my experience living in Holland for the last 2 years, I'd say it's crappy. It's just a guess, though. (Just checked, it's snowing. bahh)

 

Q: Who was the last person you spoke to on the phone? 

My mother :)

 

Q: The first thing you notice about someone attractive? 

Their face. The way they talk. And, funny enough, their hands.

 

Q: Favourite type of food? 

Portuguese food!! Awesoooome! Oh, and italian.

 

Q: Do you drink? 

I take it you're talking about acoholic drinks. If that's the case, I do in social situations.

 

Q: Do you smoke? 

Nope.

 

Q: Ever got so drunk you don't remember what you did? 

It may have happened once or twice, yes... I was kinda happy I didn't remember what I'd done, though.

 

Q: Eye colour? 

Brown.

 

Q: Do you wear contacts? 

No, but I'm considering it.

 

Q: Favourite holiday? 

Christmas. 'Cause I get to go home and get a bunch of presents. yay.

 

Q: Favourite month? 

That'd be July, 'cause it's Summer, vacation (at least it used to be, before stupid college) and my birthday. This last one will very likely be the reason why, some years from now, July will be my least favourite month.

 

Q: Have you ever cried for no reason?

Nah. Whenever I cry, I have a reason to do so. Even if the reason is a stupid movie or a temporary hormonal dearrangement.

 

Q: If you could say something to someone right now, what would that be?

Hm, tough one! I'd tell someone I know to stop being such an ass and look at what's right in front of him.

 

Q: Which book are you reading? 

I'm currently reading "The time traveler's wife". So far, so good.

 

Q: Piercings? 

Yep. Four on my ears, one on my navel.

 

Q: Favourite movie? 

No idea, there are just too many to mention only one.

 

Q: Favourite soccer team? 

Until last match, it was Benfica. Now, I'm kinda open to new suggestions. (Loosing against Sp Braga? WTF??)

 

Q: What were you doing before this? 

Writting my Project Plan. (F*ck, I should be doing it right now!)

 

Q: Pets? 

I've got this super cool fish. His name is Sucker.

 

Q: Butter popcorn, plain, or salted? 

Slated popcorn rule, and you know it!

 

Q: Dogs or cats? 

I like both, actually. As long as they don't bite me. Or poop next to me. Or on me.

 

Q: Are you taken or single? 

I'm kinda in between.

 

Q: Have you ever loved someone? 

Who hasn't?

 

Q: Who would you like to see right now? 

My family and my friends.

 

Q: Have you ever fired a gun?

Nop, but sometimes it've come in handy!

 



E pronto, cá temos as respostas mais parvinhas alguma vez escritas, ao inquérito mais parvinho alguma vez escrito. E agora vou voltar ao trabalho, que isto de procrastinar ainda me dá cabo da tese!
publicado por Nana às 23:30
sinto-me: Cansada e RANDOM
música: Sympathy for the Devil - Guns & Roses

27
Out 09

Eeeeeena pá, há tanto tempo que não ponho cá os pés!

Devia ter vergonha, isso sim! Abandonar assim um blog, onde é que já se viu?? Ai ai ai...

 

Bom! Vou então tentar fazer aqui um update dos meus últimos meses!

 

Em Junho voltei para Portugal, para completar o meu segundo estágio. Fi-lo na mesma clínica do ano passado, mas com um instrutor clínico diferente. A faculdade tentou arranjar-me problemas; não queriam que fizesse dois estágios no mesmo sítio, e blá bla.

Fizeram mil e uma ameaças diferentes que eu, que já sei o que a casa gasta, ignorei deliberadamente. E muito bem, uma vez que as ameaças não deram em nada e acabei por ter um bom estágio.

 

Voltei para a Holanda dia 3 de Outubro, para o meu terceiro (e último, espero!) ano de Faculdade. Se tudo correr bem, daqui a menos de 9 meses sou fisioterapeuta. O que é... estranho. Demasiada responsabilidade, se querem que seja sincera. Mas é bom, I guess!

 

Outra novidade na vida aqui da "je" é o facto de não estar a tomar antidepressivos há cerca de três meses. A medicação era algo que fazia parte da minha vida há já tanto tempo, que agora confesso que é estranho ir para a cama sem tomar o comprimido. Ou sair e poder beber à vontade, sem ter que me preocupar se tomei ou não medicação.

É... diferente!

 

Outra coisa interessante a registar é a diferença que noto em mim, este ano. Não sei se é por não estar sob efeito da medicação, ou se fui eu que simplesmente cresci durante o Verão.

A verdade é que, desde que voltei para a faculdade, sinto-me mais madura. Menos espalhafatosa, menos "olhem pra mim!", mais em paz comigo própria.

Sinto como se tivesse batalhado durante anos para me aceitar a mim própria e, de repente e sem mais nem menos, tivesse ganho essa batalha.

Os meus colegas notaram essa diferença. Uns dizem que gostam de me ver assim, mais "at ease". Outros, no entanto, dizem que não gostam. E eu sei, eu sei que não se deve ligar ao que os outros dizem, yada yada, mas a verdade é que me magoam esses comentários. Em especial quando são feitos por pessoas que me são próximas.

Porque, e se esta for a verdadeira EU? A Susana sem medicação, a Susana que não está sob o efeito de coisas que alteram a sua personalidade?

 

Eu própria estou a ter que me habituar a esta nova Susana. É, sem dúvida, uma experiência interessante. É como acordar com amnésia e ter que conhecer tudo à minha volta, incluindo eu própria.

 

 

Mudando de assunto; estou a fazer, na faculdade, um género de curso opcional, relacionado com comunicação.

Consiste em estarmos todos sentados, em círculo, e "partilhamos". O responsável pelo grupo trouxe um pau (aparentemente, viu-o numa floresta na Noruega, gostou e trouxe) e só quem tem o pau na mão é que pode falar. Sim, eu sei a quantidade de comentários maldosos que vos veio à mente... Cresçam, sim?

 

No início, fazia-me pensar naquelas reuniões dos Alcoólicos Anónimos que vemos nos filmes; quando me apresentei, "Hi, I'm Susana", confesso que estava à espera que respondessem "Hiii, Susanaaa". Como nos filmes. Enfim.

 

Afinal não tem nada a ver com isso, e é até bastante interessante. Todas as sessões (uma vez por semana) temos a sugestão de um tema para falar. Por exemplo, na semana passada tivemos que levar um objecto que fosse importante para nós, e explicar o porquê. Hoje, tinhamos que levar um poema ou texto do nosso país, que representasse algo para nós. Durante estas sessões tenho ouvido histórias fantásticas; gente tão diferente, com passados diferentes, culturas diferentes, países diferentes, culturas diferentes... É tão, tão bom!

 

Hoje, por exemplo, ouvi um trecho do Princepezinho em francês (que, para os mais distraídos, é a língua original deste livro), que é algo que todos deviam experimentar um dia; ouvi um poema em polaco, que explicava como é importante demonstrar o quanto amamos quem amamos, e como o nosso primeiro amor pode ser o último, ou o último pode ser o primeiro; ouvi uma canção de embalar em Frieslandês (não sei se é assim que se chama, é a língua oficial de Friesland); ouvi um poema em espanhol acerca de um homem apaixonado por uma mulher casada. Ouvi ainda outras histórias, acerca de como cada um lida com o stress. E, é claro, partilhei com eles um poema do Fernando Pessoa.

 

Depois disso tive uma sessão clínica, no Revalidatie Centrum Amsterdam. Era um caso de AVC, e eu fui escolhida para fazer a avaliação. Não só recebi elogios dos meus colegas, como ainda recebi um "I'm very satisfied" do meu Prof de neurologia. I'M VERY SATISFIED!! Gahh, ok, esperem só um bocadinho, que eu tenho que ir ali fazer a dança da vitória mais uma vez!!

 

....

 

Ok, voltei!

 

Anywhoooo, depois da sessão clínica fui para a biblioteca municipal (que é um ESPETÁCULO, lembrem-me de um dia vos falar dela). Tive a sorte de, quando lá cheguei, estarem dois homens a tocar no piano da entrada... Peças lindíssimas! Estive, portanto, das 20h às 21:30h a ler um livro da Nora Roberts e a ouvir tocar piano...

 

Tive ou não um grande dia??

 

Agora, para terminar, decidi escrever, coisa que não fazia há algum tempo. Suponho que, de vez em quando, seja preciso esperar até que a inspiração venha... ;)

publicado por Nana às 23:44
sinto-me: kinda happy... Weird, uh?!
música: War is over - Sarah Brightman

23
Jul 09

Ora então, "mangando, mangando" (ai, estas alentejanices!), já estou em Portugal há quase um mês!

 

Reiterando o que já aqui disse perto de um milhão de vezes, não há lugar como a nossa casa. Já quase me tinha esquecido do bom que é estar cá. Do bom que é estar perto da família e dos amigos. Do fantástico que é receber uma mensagem a dizer "Vamos tomar um café?", e ir. 

 

Já tinha saudades deste bairro, com todas as suas casinhas, cada uma de sua cor. Saudades da Serra da Arrábida que, por mais fogos que a consumam, oferece sempre uma visão fenomenal a quem se dá ao trabalho de a subir. Saudades dos restaurantes da Avenida Luísa Todi, com os seus restaurantes a cheirar a peixinho grelhado. Ah, as saudades que eu tinha de Setúbal!

 

Comecei o meu estágio, no mesmo lugar do ano passado, dois dias depois de cá ter chegado.

 

E só aí é que me apercebi do quão desmotivada me senti nestes últimos seis meses. Tenho a sensação de que a escola já não puxa por mim, já não me motiva. Especialmente nestes últimos meses, sinto que não aprendi nada.

O facto de eu estar a fazer o curso e, ainda assim, conseguir dormir a noite inteira e mais umas três horinhas durante a tarde, deve falar por si.

 

Decidi, então, que vou começar a estudar por conta própria. Claro que vou continuar o curso e acabá-lo, mas vou estudar o que eu penso ser importante, o que eu gosto. O que a faculdade me pede para estudar, estudarei. Mas com menos afinco.

 

A verdade é que a fisioterapia ainda me fascina. A cada dia que entro na clínica vejo os resultados e devo confessar que o sorriso de alguém que está a andar pela primeira vez desde há algum tempo é algo grandioso.

E é isso que eu quero estudar. Quero estudar a anatomia, a fisiologia. Compreender o que faço e para o que o faço. Entender o porquê das coisas e como modificá-las.

Dou muito, muito mais valor a isso, do que ao que a faculdade me tem exigido ultimamente. Concordo que será importante ter a noção de como escrever um artigo ou de como trabalhar numa "systematic review".

 

No entanto, devo admitir que prefiro mil vezes mais ajudar alguém a voltar aos seus movimentos funcionais diários do que estar sentada em frente ao computador a avaliar artigos.

 

Por isso, a partir de agora, e já lá dizem os Xutos e Pontapés, este estudo vai ser "à minha maneira"!

publicado por Nana às 18:27
sinto-me: Em força
música: Wishful thinking - John Petrucci

Setembro 2012
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
17
18
19
20
22

23
24
25
26
27
28
29

30


subscrever feeds
tags

todas as tags

mais sobre mim
pesquisar
 
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

blogs SAPO